segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Diário gráfico - Cova da Moura

Jogando Ouril no café de Nhu Vitorinu

domingo, 27 de fevereiro de 2011

"Recolectores de palavras" em S. Roque do Pico

Os “Recolectores de palavras” saíram à rua em S. Roque do Pico. Uma mão cheia de famílias deambulou pelo “Cais do Pico” recolhendo palavras com textura, interpelando os transeuntes, entrando em lojas, recortando outros vocábulos de folhetos e cartazes esquecidos. “Qual é a sua palavra favorita?” Perguntavam. E os Picarotos lá iam respondendo, às vezes um pouco atrapalhados: “Amor”. Feita a nossa colecção de palavras, seguimos para a jovem Biblioteca Municipal e demos corpo a grandes poemas colectivos em folhas de papel de cenário. Podem passar pela biblioteca que o trabalho está lá afixado. “Diga?”… “Sim, a sua palavra Amizade também lá está no poema junto com o Mar do seu vizinho…”


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Beijinhos e abraços!

Uma vez, fiz uma apresentação de um livro com a nossa Luísa Ducla Soares num colégio "fino" de Lisboa. Tratava-se de "O rapaz e o robô" para oqual eu fiz as ilustrações. A certa altura, Luísa disse-me: "vais ver que agora nos começam a fotografar com os telemóveis e depois nos pedem autógrafos...". Daí a pouco, um pequeno grupo de crianças bem vestidas, empunhando os telefones, começaram a fotografar-nos, em seguida, tiraram blocos dos bolsos e pediram autógrafos... Remata Luísa: "Nos bairros pobres, pedem-nos beijinhos." E eu, fiquei-me interrogartivo com aquela frase... Uma bela manhã, lá no bairro da Cova da Moura, acordei para o significado das palavras da escritora. Depois de uma sessão de contos e poemas meus, um grupo de crianças cercou-me, cobrindo-me de beijinhos e amplexos saborosos. Obrigado Luísa por me devolveres a exacta dimensão do meu labor na escrita... Os afectos de onde frutificam as palavras que educam e largam mensagens para quem as queira escutar...
Por isso publico a foto deste abracinho de uma pequena leitora de Monção, numa tarde saborosa em que os textos fluiram de mim para os ouvidos atentos daqueles que serão homens e mulheres amanhã, espero que mais atentos sobre o mundo, muito mais do que a minha geração. E tudo isto, pela mão de uma professora bibliotecária e uma animadora cultural em biblioteca municipal. Vale a pena juntar as "vontades"...Não é, Blimunda?

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Mediando o "Espelho" de Suzy Lee


Imagens recolhidas numa sessão do projecto "Tásse a ler" na Biblioteca Municipal de Valença

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Vale do Minho

 Um aluno que escreveu um belo texto, um grito, nunca valorizado por um professor de Português atípico.
O que me leva a percorrer quilómetros e quilómetros de estradas para chegar ao Alto Minho? Preparo os livros antes…aqueles que servirão como passaportes para a entrada no universo juvenil que não domino na totalidade. Lembro-me... Já fui jovem. Agora, tenho sobre mim este legado da passagem do gosto pela leitura a uma geração que aos poucos vou conhecendo. Há muito que sou mediador cultural e a situação actual do conhecimento e da comunicação no nosso país impelem-me a ir mais para a frente, mais longe, numa partilha urgente; utopia de uma sociedade em que o ser humano é o mais importante, entendendo a sua própria essência. Vou para o Minho! Digo, com o carro cheio de materiais para as minhas oficinas. Estóico, eu, junto com os meus companheiros da palavra dita e escrita: técnicos de biblioteca, professores (alguns, bibliotecários) e Bibliotecários Municipais. Todos entendendo muito bem o papel das bibliotecas no mundo contemporâneo: plataformas de comunicação, cultura e educação, fundamentais para o desenho da sociedade que desponta com sabor a futuro.

Estamos todos acordados. É por isto que estou no “Tásse a ler”.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Pico

Nas lajes do Pico, o monumento ao baleeiro (Pedro Cabrita Reis), enquadrado com a arqueologia da labuta baleeira.
Sou sempre bem recebido nas Lajes, gosto do ambiente. A sessão das "Palavras marcianas" correu bem e o serão de contos foi animado.
Uns "marcianos" bem empenhados...de volta dos dicionários.
Em S. Roque do Pico fiquei numa bela pousada da Juventude, um antigo convento recuperado com uma vista fantástica para S. Jorge. Fizémos os "Recolectores de palavras" pelo Cais do Pico logo pela manhã: uma mão cheia de boa gente. A sessão de contos na nova Biblioteca Municipal foi bastante divertida. lá fora a chuva caía intensa e o vento varia apressado a costa norte da ilha. Quero voltar!
O claustro

Diário gráfico - Terceira

Enquanto esperava pela ligação aérea para o Pico...