quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Sentimento vegetal

Sempre fui recolector, curioso, enchendo o ateliê de objetos e salvados, alguns encontrados adormecidos na areia das praias. No inverno procuro por aqui e por ali pedaços de madeira, lenha que aqueça as noites deste estúdio por vezes muito frio. Crepitará alegre a minha salamandra.... Como não vivo no campo, deambulo pelas redondezas recolhendo o combustível que ajuda a secar as telas. Queimo troncos de roseira, interrompidos no seu crescimento em direção à beleza pelos proprietários Charnequeiros que por desfastio ou conceito estético se decidem a cortar o arbusto produtor de flores nos quintais das suas tristes e feias vivendas. São seres interrompidos, como se fossem pessoas a quem lhes é negada a continuação. Observo,…acaricio e entendo como se podem constituir como metáforas da nossa própria existência, também com cabeça tronco e membros. Leio os matizes e a involuntária expressão dos rudes golpes sobre os ramos. Inevitavelmente, algum deste sentimento vegetal irá parar à minha pintura.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

"Troncos e Marés"

 Acrílico e cascas de pistachio sobre tela - 90x150
Ao fim de alguns anos de ausência, finalmente vou mostrar pintura em Lisboa. Será na sexta feira dia 13 de janeiro (bela data!) na galeria Appleton Square (rua Acácio Paiva nº 27 R/c - Alvalade). Inauguração no dia 13 de Janeiro às 22 horas. A exposição encerra a 4 de Fevereiro. Estão todos convidados.